Serviços
Psicoterapia
- Crianças
- Adolescentes
- Adultos
- Casais
- Terapia Holística
- Pessoas com Deficiências
- Terapia para Estrangeiros
- Therapy for Foreigners
Orientação
- Pais
- Professores
Comunicação Corporal para:
   Graduação
   - Artes Cênicas
   - Licenciatura em Dança

   Pós Graduação
   - Psicopedagogia
   - Arte Terapia
   - Arte Educação
   - Educação Especial

Biodança e Dança Arquetípica
- A Biodança
- A Dança Arquetípica
Currículo & Contato
- Local Atendimento
- Mini-Currículo de Clínica
- Currículo Lattes
- Atendimento pela Internet
- Contato
Trabalhos Publicados
- Reprogramando a Emoção
- Psicanálise Holística
- De Volta ao Futuro
- O Arqueiro Zen na Psicoterapia
- Tornando-se Menino de Verdade
- Diálogo em Quadrinhos
- Dança para Autistas
- Dança Arquetípica
- A Biodança
- Biodança e Dança Teatro
- Dança para Cegos/Mestrado
- Biodança para Cegos/Monografia
- A Transdisciplinary Approach to Psychomotricity
 Psicoterapia para pessoas com deficiências
BREVE HISTÓRICO: Marina Tschiptschin Francisco vem tratando de pessoas com deficiências de todas as ordens, desde 1972, quando fez sua pós-graduação em Terapia Comportamental, no Pennsylvania Psychiatric Institute na Universidade de Temple, EUA.

Em sua experiência clínica figuram pessoas com deficiências físicas de caráter auditivo, visual, e motor; pessoas com deficiências mental (como síndrome de Down) e emocional (esquizofrênicos, autistas, autistas de alto rendimento - Síndrome de Asperger).

Sua experiência com pessoas com deficiência visual traduziu-se em sua Dissertação de Mestrado - "Dança para Cegos" (2003), apresentada na Universidade Presbiteriana Mackenzie e sua Monografia "Biodança para Cegos" (2009), apresentada na Escola Paulista de Biodança. Ambos os trabalhos podem ser vistos na página do YouTube pelo link:

http://www.youtube.com/marinatf4444/dançaparacegos

COMO É O TRATAMENTO?
No caso de crianças ou pessoas com deficiência mental, a abordagem mais usada é a da ludoterapia, ou seja, terapia através do brinquedo. Às vezes, é possível o diálogo através de quadrinhos (v. A Quadrinização do Diálogo Terapêutico , trabalho apresentado em vários congressos). Em outros casos, há o recurso à expressão pelo movimento (v. "Dança para Cegos"), uma vez que o trabalho transita pela memória emocional, e esta se encontra dentro de cada célula do corpo.

Sua experiência com Dança para Pessoas com Autismo, ou Sindrome de Asperger, está iilustrada no artigo Dança para Autistas.

No caso específico de crianças, há um trabalho em conjunto com pais, familiares e professores, visando-se um ambiente de rede, com todos funcionando de modo integrado.

Uma ilustração de tratamento no caso de uma pessoa com Síndrome de Asperger encontra-se no artigo Tornando-se um Menino de Verdade.

    Contatos:   (11) 3459.2097   (11) 98135.3504 WhatsApp   Skype: marinatf4444
Conte sua história; 1º contato sem compromisso:

   






Próximo do SESC Vila Mariana e do Instituto Biológico, a 5 quadras do metrô Ana Rosa: